Quilombo da Rasa

Um dos primeiros locais ao chegar à cidade de Armação dos Búzios é o bairro da Rasa.

O Quilombo da Rasa, localizado em Búzios, é um testemunho vívido da história e ancestralidade do povo negro que foi escravizado no território brasileiro. Muitos desses escravos provinham de diversas nações africanas e desembarcaram na região durante um período em que o tráfico interno era uma prática clandestina. Embora o tráfico interno tenha sido proibido no Brasil em 4 de setembro de 1850, pela Lei Eusébio de Queirós, a chegada desses “tumbeiros” não cessou, e muitos deles ancoraram no litoral fluminense.

Búzios recebeu inúmeros homens e mulheres que desempenharam um papel significativo na formação da nossa identidade nacional. A história dolorosa que marcou essa época envergonha a nossa sociedade, mas também possibilitou uma rica e profunda conexão entre esses povos e suas culturas. Hoje, com muito orgulho, essas tradições culturais são preservadas no bairro da Rasa, que foi reconhecido como uma área quilombola em 2005 pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e pela Fundação Palmares.

O Quilombo da Rasa é composto por uma população que é descendente da antiga Fazenda Campos Novos, que originalmente pertencia a padres Jesuítas que habitavam a região desde o período colonial. Atualmente, o local abriga a sede da Secretaria de Agricultura do Município de Cabo Frio.

Cerca de 800 famílias vivem no Quilombo da Rasa, mantendo ao longo dos anos as principais tradições da cultura africana. Isso inclui a celebração de rodas de Jongo, Festas de Folia de Reis, danças como o Calango, e as Festas do Boi. Essas expressões culturais são preciosas heranças que continuam a enriquecer a tapeçaria cultural do Brasil.

Na praça central do bairro da Rasa, os visitantes podem admirar uma bela estátua da artista plástica Christina Motta, representando um homem negro segurando nos braços uma criança. Essa estátua é uma homenagem aos quilombolas que encontraram seu lar na região.

Além disso, as praias da Gorda, Praia do Nego e a Ponta do Pai Vitório, localizadas no bairro da Rasa, desempenharam um papel crucial na clandestina chegada de muitos navios negreiros e seus traficantes. Essas praias serviram como pontos de desembarque, que eram seguidos por uma jornada até a Fazenda Campos Novos, o destino da maioria desses escravos.

Conhecer o Quilombo da Rasa é uma oportunidade de desvendar a história importante desse povo e da região em que vivem. Isso nos ajuda a compreender ainda mais profundamente as raízes culturais dessa península extraordinariamente bela, que continua a lutar pela preservação de suas tradições e memória.

Compartilhe com amigos:
Search